logo universo

Pesquisar no site:

facebook

Home
REGIMENTO INTERNO UNIVERSO MÍSTICO Imprimir E-mail

REGIMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE INTERCULTURAL UNIVERSO MÍSTICO

 

1. OBJETIVO

O presente Regimento Interno tem por objetivo determinar as normas internas de trabalho da ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE INTERCULTURAL UNIVERSO MÍSTICO, estabelecendo por este meio, uma forma organizada e única em todas as atividades, eventos, reuniões, rituais, práticas, ensinamentos, etc., propostos por esta associação.

1.1. O Regimento Interno é de característica doutrinária, de ordem espiritual, organizacional e disciplinar, sendo sua redação e supervisão principal de responsabilidade do Representante Geral, que poderá alterar, corrigir, ou ainda incluir novos itens para o desenvolvimento e aperfeiçoamento da associação, sendo que tais alterações não dependem de votação ou reuniões de diretoria e/ou da Assembléia Geral, visto não se tratar de fato administrativo e sim doutrinário.

1.2. As alterações, inclusões e aperfeiçoamentos do Regimento Interno serão, sempre que possível e à critério do Representante Geral, compartilhadas com o Corpo dos Soberanos (inicialmente), com o Corpo dos Guardiões (em segunda etapa), ou ainda com o Corpo dos Conselheiros (em terceira etapa) para que estes órgãos tenham o direito e o dever de sugerir, aconselhar e/ou vetar com justa causa antes que as mesmas entrem em vigor.

1.3. O Regimento Interno é sintético, sendo que casos específicos serão detalhados nos Boletins da Consciência, os quais deverão ser consultados para dirimir dúvidas.

 

2. ENSINAMENTOS

A Associação Beneficente Intercultural Universo Místico, com seu viés holístico e universalista, possui como base de seus ensinamentos o método Liberatus Conscientiae, com as seguintes características:

2.1. Liberatus Conscientiae significa essencialmente: "A consciência daquele que se libertou" ou ainda "Aquele que se libertou por meio do Despertar da Consciência". Entende-se por "consciência" todo o conjunto de potencialidades latentes no ser humano, sejam físicas, psíquicas, mentais, morais ou espirituais. Entende-se por "liberdade" a condição de autonomia para agir segundo seu próprio discernimento e motivação pessoal. Nesse sentido esse método é mais um sistema disciplinar e motivacional de conduta íntima, não tendo nenhum princípio dogmático.

2.2. O método Liberatus Conscientiae é ainda um sistema composto por 108 Pérolas ou Virtude Potencial, que deve ser despertada, desenvolvida, fortalecida e aperfeiçoada através de ensinamentos progressivos. Essas pérolas ou flores da alma deverão ser cultivadas no Jardim de nossa existência.

2.3. Liberatus Conscientiae não cria nem propõe nada novo acerca do saber pautando-se apenas em ser um guia de austeridade e disciplina para o saber e neste sentido incentiva que todo associado se dedique no estudo das Sete Ciências e Artes Liberais (Trivium e Quadrivium) que são: Gramática, Lógica, Retórica, Aritmética, Geometria, Música e Astronomia.

2.4. Podemos ainda visualizar o Liberatus Conscientiae como um sistema de educação integral, uma prática de interdisciplina e um caminho de ascese espiritual focado e pautado no bem, no belo, no justo e no saber universal.

2.5. O Representante Geral, através de ensinamentos diretos, boletins da consciência, indicação de literatura, indicação de vídeo-documentários, indicação de práticas, etc. irá mostrando o caminho e aperfeiçoando o desenvolvimento do Liberatus Conscientiae ao longo do tempo em nossa associação.

2.6. Reconhecemos e respeitamos a liberdade individual de cada associado em estudar e praticar o que julgar conveniente para sua evolução espiritual, desde que não haja conflitos doutrinários ou crie divergências de ideologia no âmbito da associação.

 

3. RITUAIS E PRÁTICAS PARA O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

3.1. O Universo Místico, para cumprir com seus objetivos, colocará a disposição de seus associados, inúmeros rituais e práticas espirituais, para que os interessados exerçam efetivamente uma rica vida de comunhão com o Divino.

3.2. É de responsabilidade do praticante: a honestidade, a disciplina, a mística e a constância nas práticas, cujos resultados serão proporcionais ao empenho dedicado.

3.3. Enfatizamos que o Despertar da Consciência se conquista mediante uma rígida conduta íntima, solitária, completamente independente de valores externos, como seus líderes, a Ayahuasca, a Associação, a esposa, a família, etc.

3.4. Nossa Sangha, como família espiritual, deverá se reunir freqüentemente nos "Momentos Práticas" e "Eterno Aprendiz", atividades sem o uso da Ayahuasca, para compartilhar, estudar e praticar em grupo os ensinamentos propostos.

 

4. VIVÊNCIAS, RITUAIS E TRABALHOS COM A SAGRADA AYAHUASCA

Os associados do UNIVERSO MÍSTICO deverão se reunir freqüentemente para realização de rituais espirituais, onde se comungará, para efeito de concentração mental e elevação espiritual, a Sagrada Ayahuasca.

Os rituais, trabalhos ou vivências deverão ser realizados a critério do Representante Geral e/ou dos Representantes de Núcleo em datas programadas para este fim e também nas datas comemorativas e/ou festivas conforme calendário festivo estabelecido neste Regimento Interno, ou ainda nos eventos extras determinados pelo Representante Geral.

4.1. As sessões poderão iniciar a qualquer horário, porém todos deverão ser responsáveis e disciplinados em cumprir o horário estabelecido para não prejudicar os trabalhos.

4.2. A critério da Representação Geral serão realizados rituais instrutivos e rituais de grau específicas para os associados dos diversos graus, como Corpo do Conselho, Corpo dos Guardiões, Corpo dos Soberanos, etc.

4.3. A Ayahuasca é um Aliado Divino no Despertar da Consciência, pela qual deveremos ter sempre respeito e consideração, sem, no entanto, deixar-nos prender a sua dependência para nosso trabalho íntimo, que deverá ser contínuo no dia a dia e em todas as nossas atividades e relações.

 

5. DESENHO DOS TRABALHOS

Todos os Representantes de Núcleo deverão seguir o desenho abaixo como norma de condução dos trabalhos para que haja harmonia entre todos os núcleos e vivências sob a bandeira do Universo Místico:

5.1. Ayahuasca: A Ayahuasca a ser comungada nos trabalhos do Universo Místico deverá ser de seu próprio feitio ou, excepcionalmente, de fonte confiável, sob a supervisão do Representante Geral. O Representante de Núcleo que utilizar Ayahuasca de outras fontes, sem autorização direta do Representante Geral, poderá ser punido e afastado de suas atribuições.

5.2. Direção dos Rituais: Os rituais preferencialmente deverão ser dirigidas pelo Representante Geral, Representante da Justiça, Representante do Conselho Oriental, Representante Eterno Aprendiz, Representante do Arco-Íris, Representante Central, Representantes de Núcleo e/ou suas esposas(os), quando também façam parte do Corpo do Conselho.

a. Excepcionalmente, por necessidade, outra pessoa poderá dirigir sessão, sob supervisão e conhecimento do Representante Central dos Núcleos.

5.3. Orientação Musical: A orientação musical também ficará a cargo do dirigente do ritual que poderá a seu critério, designar alguém de sua confiança que tenha capacidade para esta função. As músicas deverão ser selecionadas com o objetivo de induzir a concentração e a reflexão espiritual, devendo-se usar também hinários, meditações, orações, ícaros, ensinos gravados e música ao vivo quando houver pessoal capacitado para tal.

5.4. Apoios: Os rituais deverão ter, no mínimo, um apoio masculino e um apoio feminino, que deverão preferencialmente ser membros do Corpo do Conselho, os quais terão a função de auxiliar o dirigente do ritual e prestar auxilio a todos os participantes, fiscalizando o bom andamento dos trabalhos e zelando com amor e carinho pela harmonia de tudo e de todos.

5.5. Chamadas: O dirigente do ritual é também o responsável por trazer as chamadas de abertura e invocações de força, ou ainda indicar alguém de sua confiança para tal fazer. As chamadas deverão ser trazidas sempre de memória e somente as devidamente autorizadas pelo Representante Geral.

5.6. Ritual: O formato ritualístico dos trabalhos deverá ser o mais simples possível, sem formalidades desnecessárias, permitindo-se a liberdade individual de conforto e locomoção, mas sempre procurando manter o grupo unido e em harmonia. Recomenda-se o início dos trabalhos com orações e as chamadas de abertura e também uma finalização oficial com a despedida e os agradecimentos pelas graças recebidas, sendo optativo a abertura da palavra a todos os participantes.

5.7. Orientação: Sempre que possível, o dirigente do ritual deverá trazer orientações e ensinamentos de viva voz dentro dos trabalhos. Qualquer outra pessoa do Corpo do Conselho também poderá trazer ensinamentos com a devida licença do Representante do Núcleo.

5.8. Sacramentos: Em Vivências, Rituais Instrutivos, de Grau ou Festivas poder-se-á, a critério do Representante Geral, ser oficializado Sacramentos Especiais como batizados, casamentos, bênçãos de cura, consagração de talismãs e entrega de graus.

 

6. PREPARO DA AYAHUASCA

Os Preparos da Ayahuasca só poderão ser realizados com a autorização do Representante Geral, que é o encarregado máximo de conduzir e orientar o mesmo.

6.1. Representante Chama: Quando houver pessoa capacitada para tal lhe será entregue o "Grau Chama" com a responsabilidade de organizar e orientar o preparo da Ayahuasca em todo o âmbito da associação. Os mistérios deste nome ficam restritos aos rituais instrutivos.

6.2. Mestres de Preparo: Quando houver pessoas capacitadas para o preparo, o Representante Geral nomeará Mestres de Preparo autorizados para realizá-lo.

6.3. Mariri e Chacrona: As plantas básicas e autorizadas para o preparo da Ayahuasca serão exclusivamente o Mariri (Banisteriopsis Caapi) e a Chacrona (Psycotria Viridis).

 

7. VESTIMENTAS E IDENTIFICAÇÃO

Não será exigido um uniforme padronizado para todos, porém recomenda-se o uso de vestimentas de tipo ritualístico, de preferência de cores claras, evitando-se o preto e o vermelho durante os trabalhos. Será permitido o uso de adornos e/ou acessórios de natureza mística, desde que não haja exageros e/ou abusos que provoquem desarmonia no grupo. Recomenda-se também o bom senso e o respeito no tocante ao aspecto sexual, sendo proibidas roupas justas, bermudas, camisetas sem manga, com decote ou que deixem a mostra partes íntimas do corpo.

7.1. Identificação: Os distintos graus serão identificados com uma faixa tipo lenço no pescoço, de acordo com a normatização a seguir:

a. Aprendizes – Lenço Verde;

b. Conselheiros – Lenço Azul;

c. Guardiões – Lenço Amarelo;

d. Soberanos – Lenço Vermelho;

7.2. Representantes dos distintos graus terão faixa adicional sobre a faixa individual, com desenho específico para o grau, conforme determinação do Representante Geral.

 

8. CALENDÁRIO FESTIVO

As datas abaixo, dentre outras, serão consideradas datas festivas, que poderão, a critério do Representante Geral ou dos Representantes de Núcleo, ser comemoradas com sessões:

* 06 de Janeiro – Dia dos Santos Reis

* 27 de Janeiro – Aniversário do Universo Místico

* 24 de Junho – São João Batista – Sessão com fogueira.

* 22 de Julho – Retiro de Inverno

* 27 de Setembro – São Cosmo e São Damião.

* 12 de Outubro – Nossa Senhora Aparecida

* 31 de Dezembro – Festejo da Família

* Aniversário dos Núcleos – A critério dos Representantes de Núcleo, poder-se-á comemorar o aniversário do Núcleo com um ritual festivo.

 

9. ÉTICA, CARTA DE PRINCÍPIOS E DEONTOLOGIA DA AYAHUASCA

O Universo Místico adota princípios éticos de grande respeito por todos os grupos que comungam a Ayahuasca, sem prejuízo de nossas convicções e crenças íntimas, que podem não estar de acordo com as atividades e doutrinas desses mesmos grupos.

9.1. Em novembro de 1991 as entidades religiosas que utilizam a Ayahuasca decidiram adotar procedimentos éticos comuns em torno do chá, sem prejuízo à identidade e às convicções de cada uma, criando assim a "Carta de Princípios".

9.2. Em 2006, foi instituído o GMT (Grupo Multidisciplinar de Trabalho para os estudos da Ayahuasca), com o apoio do CONAD, que após longo processo deliberativo, formulou o Documento de Deontologia da Ayahuasca publicado no Diário Oficial como Resolução Nº1 do CONAD em 25 de Janeiro de 2010.

9.3. Nossa Associação assume neste Regimento Interno o compromisso de respeitar e cumprir os princípios descritos nos documentos citados acima.

 

10. MENSALIDADES E CONTRIBUIÇÕES

Para poder manter as despesas necessárias à expansão e administração da associação, dever-se-á instituir cobrança de contribuição nos trabalhos da associação e ainda mensalidade mantenedora dos associados, cujos valores e condições serão detalhados em Boletim-Resoluções.

 

11. CORPO DOS ASSOCIADOS

11.1. Definição: O corpo dos associados será formado por todos que se associem por sua livre vontade.

11.2. Requisitos: Os requisitos para se admitir um associado são:

a. A disposição do mesmo para tal;

b. O conhecimento pleno do Estatuto e do Regimento Interno;

c. Aceitação plena e de boa vontade da ideologia da associação;

d. O preenchimento da Ficha de Associado;

e. O pagamento de sua mensalidade mantenedora;

f. Possuir um padrinho ou madrinha que se responsabilize por sua orientação pessoal;

g. Receber o Batismo dos associados;

11.3. Deveres: Todos os constantes em nosso Estatuto Social.

11.4. Direitos: O associado terá direito a participar de sessões exclusivas para associados (instrutivas) e ainda os direitos descritos em nosso Estatuto.

11.5. Objetivo: O Corpo de Associados é a porta de entrada desta Sagrada Escola, sendo composto por todos que, sinceramente, almejem aprender e nos auxiliar nessa missão.

11.6. O Corpo dos Associados será supervisionado pelo Representante do Arco-Íris.

 

12. CORPO DOS APRENDIZES

12.1. Definição: O corpo dos aprendizes será formado por todos os associados que tenham participação pró-ativa, sendo sua classificação como aprendiz de sua própria responsabilidade, ou seja, é o próprio associado que deverá se considerar um aprendiz e agir com tal.

12.2. Requisitos: Os requisitos para um associado ser considerado um aprendiz são:

a. Interesse e humildade em aprender os ensinamentos propostos;

b. Assiduidade nas sessões, momento prática, eterno aprendiz e outras atividades;

c. Possuir um padrinho ou madrinha que se responsabilize por sua orientação pessoal;

d. Receber o Batismo dos Aprendizes;

12.3. Deveres: Os deveres de um Aprendiz são:

a. Despertar e Fortalecer a Humildade para aprender;

b. Despertar e Fortalecer a Honestidade para começar um trabalho sério sobre si mesmo.

c. Despertar e Fortalecer a Disciplina para cumprir com suas práticas espirituais.

12.4. Direitos: O Aprendiz terá direito a receber acompanhamento e instruções particulares e ainda ser preparado para o Corpo do Conselho.

12.5. Objetivo: O Corpo de Aprendizes será formado por pessoas que estejam dispostas e capacitadas a trabalhar ativamente no desenvolvimento de todas as nossas atividades.

12.6. O Corpo dos Aprendizes será supervisionado pelo Representante Eterno Aprendiz.

 

13. CORPO DO CONSELHO

13.1. Definição: O Corpo do Conselho será formado por ilimitado número de associados com disposição, capacidade e vocação para auxiliar, orientar, aconselhar e fiscalizar todas as atividades da associação, em especial para assessorar os Representantes de Núcleo em todas as suas atividades. Um Conselheiro é todo aquele que aprendeu a ouvir os conselhos de seu próprio Kaom Interior, sua Voz da Consciência, sua Intuição e que também sabe ouvir os conselhos de seus Representantes no Universo Místico. Por sua vez também deverá saber aconselhar e orientar seus irmãos no grupo. Um conselheiro deverá aprender toda a ritualística e os ensinamentos propostos, deverá ajudar espontaneamente e sempre que solicitado no apoio das atividades e ainda ir se preparando para coordenar dinâmicas e dirigir rituais abertos (sob supervisão). Deverá também se aperfeiçoar continuamente para um dia conquistar o posto de Guardião. Um conselheiro poderá também assumir a responsabilidade de um pré-núcleo, sem no entanto receber novatos nas sessões.

13.2. Requisitos: Os requisitos para um associado passar ao Corpo do Conselho são:

a. Estar comprometido com a razão maior do Universo Místico, ou seja, o Servir;

b. Ter assumido de coração o caminho da retidão divina;

c. Ter preferencialmente 6 meses de associação, com freqüência comprovada nas atividades;

d. Saber de memória 10 chamadas, incluindo as 5 de abertura;

e. Ter experiência no apoio aos trabalhos, sabendo aconselhar e orientar os participantes com amor e carinho;

f. Ter um padrinho ou madrinha que o recomende;

13.3. Deveres: Os deveres de um conselheiro são:

a. Despertar e Fortalecer a Obediência no cumprimento das ordens superiores;

b. Despertar e Fortalecer a Confiança na ordem estabelecida;

c. Despertar e Fortalecer a Bondade por seus semelhantes.

13.4. Direitos: Os conselheiros terão direitos a Rituais Instrutivos com ensinos especiais, tais como estudo de chamadas, práticas, disciplina, o apoio nos trabalhos, a orientação musical, etc.

13.5. Objetivo: O Corpo do Conselho será composto por pessoas de bem, cujo comportamento seja impecável e suas atitudes um espelho límpido, formando assim a base de sustentação desta Sagrada Escola e seus membros são co-responsáveis pelo êxito de nossa missão.

13.6. O Corpo do Conselho será supervisionado pelo Representante do Corpo do Conselho Oriental.

 

14. CORPO DOS GUARDIÕES

14.1. Definição: O Corpo dos Guardiões, órgão superior ao Corpo do Conselho, será composto por guardiões que estiverem ainda mais comprometidos com o grupo, com capacidade de liderança e que assim possam, com segurança, dirigir rituais, conduzirr trabalhos, liderar práticas, trazer ensinos, explanações, histórias, chamadas, instrutivas, realizar a orientação musical e outras atividades, com maestria. Deverão ser como mourões para sustentar com firmeza nossa missão. Será Guardião de sua própria Consciência, Guardião de seu irmão, Guardião da Ordem e da Disciplina, Guardião da Luz Divina.

14.2. Requisitos: Os requisitos para um conselheiro passar ao Corpo de Guardiões são:

a. Ter preferencialmente 1 ano de associação, com freqüência comprovada nas atividades;

b. Saber de memória 27 chamadas;

c. Saber conduzir com maestria um ritual e fazer a orientação musical;

d. Ter uma boa oratória para transmitir ensinamentos e orientações;

e. Ter um padrinho ou madrinha que o recomende;

14.3. Deveres: Os deveres de um guardião são:

a. Despertar e Fortalecer a Austeridade no cumprimento de seus deveres.

b. Despertar e Fortalecer o Serviço desinteressado pelo bem de todos os seres.

c. Despertar e Fortalecer o Amor em todas as suas relações.

14.4. Direitos: O Guardião terá direito a Rituais Instrutivos com ensinos especiais, tais como ensinos de condução de grupo, liderança, o serviço, orientação musical, transmissão de ensinamentos, mistérios dos rituais, etc.

14.5. Objetivo: O Corpo dos Guardiões será composto por pessoas que verdadeiramente abraçaram a causa do Universo Místico, sendo seus membros diretamente responsáveis pela condução dos trabalhos nos núcleos, já que, preferencialmente, somente um Guardião poderá ser Representante de Núcleo e dirigir rituais instrutivos. Um Guardião é como um Pastor que cuida de suas ovelhas, e desta forma tem o dever de apresentar seu rebanho limpo e sadio.

14.6. O Corpo dos Guardiões será supervisionado por um Representante da Justiça.

 

15. CORPO DOS SOBERANOS

15.1. Definição: Fica também criado o Corpo dos Soberanos, órgão superior ao Corpo dos Guardiões, composto exclusivamente por pessoas que estejam 100% comprometidas com esta nobre missão. Ser Soberano é colocar Deus em primeiro lugar, 24 horas por dia. A meta de todo Soberano sincero, que almeja progredir no caminho espiritual, é conquistar a Maestria e a mais perfeita comunhão com Deus.

15.2. Requisitos: Os requisitos para um Guardião passar ao Corpo dos Soberanos são:

a. Ter preferencialmente 2 anos de associação, com freqüência comprovada nas atividades;

b. Saber de memória 56 chamadas;

c. Saber com maestria contar histórias e ensinos;

d. Ter uma excelente oratória e liderança conquistada;

e. Ser casado;

f. Ter um casal de padrinhos que o recomende;

15.3. Deveres: Um Soberano deverá estar cultivando um Jardim de Virtudes e viver o lema: "Nossa Razão de Ser é Servir". Um Casal de Soberanos será algo muito precioso dentro do grupo e como tal deverá merecer todo o respeito e consideração.

15.4. Direitos: O Soberano terá direito a Rituais de Alto Grau.

15.5. Objetivo: O Corpo dos Soberanos será composto por verdadeiros mourões, que aceitem sobre si a responsabilidade de levar o Universo Místico adiante custe o que custar.

15.6. O Corpo dos Soberanos será supervisionado diretamente pelo Representante Geral.

15.7. Qualquer membro do Corpo dos Soberanos poderá propor e/ou convidar um novo membro, ocasião em que a mesma se reunirá com seus membros para deliberar e confirmar os novos soberanos, sendo realizado para este fim uma cerimônia especial de iniciação para o momento e uma festa de confraternização.

15.8. O Corpo dos Soberanos é o órgão supremo nas deliberações consultivas e suas orientações e conselhos deverão ser respeitados e considerados pelo Representante Geral na condução de sua missão e na tomada de decisões.

 

16. REPRESENTANTES

Com a finalidade de organizar melhor os graus citados acima serão designados Representantes responsáveis pelas atividades dos mesmos, sendo:

16.1. Representante Chama – responsável pela preparo da Ayahuasca e o cuidado das plantas sagradas;

16.2. Representante Central dos Núcleos – responsável por manter a harmonia entre representantes de núcleos em total sintonia com o ideal do Universo Místico;

16.3. Representante do Arco-Íris – responsável por todos os associados, com a missão de motivar os participantes no cumprimento pró-ativo dos objetivos estatutários;

16.4. Representante Eterno Aprendiz – responsável por todos os aprendizes, com a missão de orientar nos ensinamentos e práticas de nossa escola;

16.5. Representante do Conselho Oriental – responsável pelo Corpo do Conselho e pela manutenção da ideologia e da harmonia;

16.6. Representante da Justiça – responsável pelo Corpo dos Guardiões e pela aplicação da Lei e da Ordem, com justiça, sabedoria e amor.

16.7. Representante Geral – responsável pelo Corpo dos Soberanos.

 

17. NOMEAÇÃO DE GRAUS

Compete exclusivamente ao Representante Geral a nomeação de membros para o Corpo do Conselho, Corpo dos Guardiões, Corpo dos Soberanos e outros graus e representações, sendo tal fato registrado em Ata de Sessão no Livro de Ouro, conforme o merecimento do mesmo e após rigorosa observação de sua vida espiritual, de sua conduta reta e de seu conhecimento e prática dos ensinamentos transmitidos.

17.1. O associados poderão perder suas funções ou graus, e seus respectivos privilégios, caso venham a faltar com suas obrigações, podendo posteriormente reconquistar sua posição, a critério do Representante Geral.

 

18. HIERARQUIAS

O objetivo das hierarquias e graus dentro do grupo é possibilitar a manutenção da ordem e da harmonia, sendo que quanto maior o grau maior o dever em servir com humildade e maior a responsabilidade em se ter uma conduta reta, honesta e disciplinada. Todo sentimento de autoritarismo ou abuso de poder será advertido e se necessário punido com rigor.

18.1. Hierarquia Consultiva Geral – Funções Consultivas de mais alto grau:

a. Representante Geral

b. Representante da Justiça

c. Representante do Conselho Oriental

d. Representante Central dos Núcleos

e. Representante Eterno Aprendiz

f. Representante Arco-Íris

g. Representante de Núcleo

h. Soberanos

i. Guardiões

j. Conselheiros

18.2. Hierarquia Administrativa – Administração Jurídica:

a. Representante Geral

b. Presidente

c. Tesoureiro

d. Secretário

e. Diretores Executivos

 

19. DIRETORIAS EXECUTIVAS

Para uma melhor organização das atividades do UNIVERSO MÍSTICO serão criadas diversas Diretorias Executivas que ficarão responsáveis pelo desenvolvimento de suas respectivas áreas.

19.1. Cada área de atividades deverá ter um Diretor Executivo, que será o responsável pelos projetos de sua área em todo o Universo Místico, e que será nomeado pelo Representante Geral conforme a disposição e experiência do mesmo para o cargo.

19.2. Cada núcleo também deverá ter um Líder de Comissão, que será o responsável pelas atividades locais da diretoria respectiva, sob a supervisão direta do Representante do Núcleo e a orientação do Diretor Executivo correspondente.

19.3. Decreta-se então a criação das seguintes Diretorias:

a) DIRETORIA DE MEDICINA E SAÚDE, com os seguintes objetivos:

 Investigar os diferentes aspectos da medicina natural e as medicinas alternativas;

 Divulgar e capacitar as pessoas associadas sobre o uso e aplicação da plantas medicinais e os diferentes sistemas de cura;

 Elaborar produtos medicinais naturais para uso dos associados e demais pessoas interessadas;

 Organizar cursos sobre as técnicas de medicina natural para os associados e o público em geral;

 Criar centros de Medicina Natural para prestar serviços de saúde e desenvolver as demais atividades desta comissão;

 Realizar encontros de Medicina Natural convidando entidades e pessoas idôneas que trabalhem com a medicina alternativa para troca de experiências;

 Estar em harmonia com os ditames da medicina tradicional, criando mecanismos e orientações específicas para atender os associados em suas necessidades;

b) DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO, com os seguintes objetivos:

 Será o encarregado de manter as informações, documentos, livros, revistas, conferências, etc., que seja material de estudo da associação, para seu uso e divulgação;

 Capacitar os associados nos distintos temas de estudo da associação, convidando conferencistas e pessoas idôneas com experiências nos assuntos de interesse da associação;

 Promover a publicação de conferências e livros escritos por pessoas da associação para o qual poderá gerenciar a apropriação de recursos e doações de diversas entidades;

 Promover a organização de bibliotecas na Sede Geral da associação e nos distintos núcleos do país;

 Administrar a formação de escolas comunitárias;

c) DIRETORIA DE MÚSICA, com os seguintes objetivos:

 Ser a encarregada de capacitar os associados nos estudos e na prática da música;

 Organizar a formação de grupos musicais em cada núcleo;

 Elaborar projetos de desenvolvimento de produções musicais e audiovisuais;

d) DIRETORIA DE ARTE E CULTURA, com os seguintes objetivos:

 Será a encarregada de investigar sobre as diversas expressões artísticas de nosso país e também de outras culturas, como o teatro, a poesia, a pintura, o artesanato, os idiomas, etc.;

 Coordenar e promover as diversas atividades artísticas da associação, a elaboração de trabalhos artesanais e a capacitação dos associados para a sua execução;

 Promover a criação de encontros e empresas comunitárias para a produção de trabalhos artesanais;

e) DIRETORIA DE AÇÃO SOCIAL, com os seguintes objetivos:

 Estudar os problemas sociais e encontrar formas de solucioná-los;

 Encarregar-se da entrega das doações recebidas às entidades necessitadas;

 Promover de forma efetiva atividades de caridade universal e ajuda humanitária;

f) DIRETORIA DE MEIO-AMBIENTE, com os seguintes objetivos:

 Estudar os principais problemas ambientais do Brasil e do mundo;

 Elaborar projetos para a conservação e proteção dos recursos naturais renováveis de nosso país e apresentá-los perante as distintas entidades para buscar seu financiamento;

 Denunciar as atividades que atentem contra os recursos naturais e que contribuam para a contaminação do meio ambiente;

 Realizar conferências instrutivas e seminários destinados a desenvolver uma consciência ecológica nas pessoas, no uso racional dos recursos naturais e na defesa do patrimônio ecológico nacional;

 Estudar a Biodiversidade do Brasil e do mundo e combater a Bio-Pirataria;

g) DIRETORIA DE COMBATE AS DROGAS, com os seguintes objetivos:

 Investigar com seriedade o problema das drogas, seu consumo e o tráfico em nosso país e no mundo com o objetivo de encontrar soluções e alternativas;

 Promover Seminários e Conferências educativas para toda a sociedade e em especial para os adolescentes com o objetivo de alertá-los contra este perigo;

 Criar, patrocinar ou colaborar com Centros de Recuperação para o tratamento de pessoas que realmente desejem se libertar dos vícios e das drogas;

h) DIRETORIA FEMININA – MANDALA ROSALUZ, com os seguintes objetivos:

 Organizar grupos de mulheres em todos os núcleos, com atividades espirituais, culturais e manuais focada na feminilidade, na maternidade, etc.

i) RETORIA MASCULINA – MANDALA DIAMANTE, com os seguintes objetivos:

 Organizar grupos de homens em todos os núcleos, com atividades espirituais, culturais e manuais focada na masculinidade, na paternidade, etc.

j) DIRETORIA JUVENIL (GRUPOS DE JOVENS), com os seguintes objetivos:

 Será a encarregada de organizar grupos de jovens em todos os núcleos, com o foco no auto-conhecimento, na criatividade, nas artes, na cultura, no teatro, na musica, etc.

 Criar, patrocinar e colaborar com Programas de Apoio ao Adolescente;

k) DIRETORIA INFANTIL (NINHOS), com os seguintes objetivos:

 Será a encarregada de manter atividades infantis através dos Ninhos, com o foco no auto-conhecimento, na criatividade, nas artes, na cultura, no teatro, na musica, etc.

 Criar, patrocinar ou colaborar com Entidades de Defesa e Atendimento aos Direitos da Criança;

l) DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO, com os seguintes objetivos:

 Será o encarregado de manter ou criar condições para uma comunicação permanente entre todos os associados do Universo Místico e também para com a sociedade em geral;

 Desenvolver jornais ou boletins para divulgar as atividades do Universo Místico e assim divulgar seus princípios e ideais;

 Manter um intercâmbio permanente com outras instituições e representar o Universo Místico perante a mídia jornalística enviando a mesma matérias de interesse geral da comunidade;

m) DIRETORIA DE PLANEJAMENTO COMUNITÁRIO, com os seguintes objetivos:

 Esta comissão será encarregada de administrar, como um síndico, as diversas comunidades rurais que vierem a ser implementadas no Universo Místico.

 Deverá desenvolver diversos projetos de auto-suficiência, como produção agrícola, métodos alternativos de produção de alimentos, criação animal, aproveitamento de recursos naturais, produção energética, etc.

n) DIRETORIAS TRANSITÓRIAS OU NOVAS DIRETORIAS:

 Poderão ser criadas Comissões Transitórias para tratar de assuntos emergenciais ou de natureza provisória;

 Poderão também ser criadas Comissões Permanentes para tratar de assuntos não previstos no presente Regimento Interno;

 

20. ENTIDADES AUTÔNOMAS

O UNIVERSO MÍSTICO poderá, se necessário, patrocinar e orientar a criação de outras entidades autônomas em qualquer lugar do mundo, que tenham objetivos afins aos desta Associação, tais como:

a. Entidades autônomas com objetivos afins em outros países;

b. Entidades autônomas para melhor organização das Diretorias Executivas;

c. Entidades autônomas para gerenciamento de Obras Sociais, tais como Hospitais, Clínicas, Creches, Asilos, Escolas, etc.

20.1. As Entidades autônomas, como tal, deverão possuir Estatuto e Diretoria própria e deverão continuar sob a orientação espiritual e filosófica do UNIVERSO MÍSTICO.

 

21. COMPROMISSO IDEOLÓGICO E FALTAS

O UNIVERSO MÍSTICO possui um compromisso ideológico conservador conforme o item "e" do Artigo 2º do Estatuto Social que diz o seguinte: "Incentivar por meio de projetos educacionais e culturais o estudo e a prática do conservadorismo como política de manutenção da ordem social, do estado de direito, dos bons costumes, da moral, da ética, dos valores familiares, das instituições religiosas, dos valores e virtudes do bem, do belo e do saber universal." e por meio deste compromisso formal todo associado estará em falta para com a associação passível de advertências, punições ou exclusão do quadro de associados as seguintes condutas:

21.1. Detratar ou desrespeitar o Representante Geral ou qualquer outra autoridade da associação ou associado;

21.2. Deixar de pagar suas mensalidades por um período superior a 30 dias, sem apresentar justificativa válida e por escrito à Diretoria;

21.3. Descumprir ou desrespeitar as determinações do presente estatuto, do regimento interno ou de outros documentos doutrinários como os Boletins da Consciência.

21.4. Deixar de acatar as decisões do Representante Geral, da Diretoria ou de outras lideranças em seus respectivos graus;

21.5. Provocar distúrbios, criar desordem ou contribuir para a desarmonia no meio social ou nas atividades da associação;

21.6. Fazer desaire, fomentar discórdia ou fofocas, portar-se de forma indevida ou desonesta em sua vida ou contrariar os ensinamentos propostos;

21.7. For filiado, ativista ou militante de partidos políticos que tenham viés radical ou com ligação a movimentos revolucionários ou que promovam luta de classes;

21.8. Ter envolvimento ideológico que promovam ideias como aborto, feminismo, gayzismo, ateísmo, cotas raciais, liberação de drogas, desmilitarização da polícia, censura da mídia, desarmamento civil, black blocs, etc.

21.9. Ser usuário de drogas ilícitas, ter conduta sexual promíscua ou cometer adultério;

21.10. Sofrer condenação judicial em causas desonrosas, a critério do Representante Geral;

21.11. Outras faltas não previstas a critério do Representante Geral que venham a ocorrer e a descumprir o presente compromisso perante o conservadorismo como descrito no caput.

 

22. FORMAÇÃO DE NÚCLEOS E REPRESENTANTES

O UNIVERSO MÍSTICO poderá e deverá formar Núcleos em qualquer lugar que se fizer necessário seguindo os seguintes princípios:

22.1. A decisão sobre a abertura de novos Núcleos será atribuição do Representante Geral que será também responsável pela nomeação do Representante do Núcleo, sendo este a autoridade máxima em sua sede;

22.2. Para a abertura de um núcleo o Representante Geral expedirá Carta Constitutiva que além de autorizar o funcionamento oficial, também constará a nomeação do Representante do Núcleo e outros graus do núcleo quando for o caso;

22.3. Os Núcleos serão regidos pelo Estatuto da Associação, por este Regimento Interno e pelos Boletins da Consciência, e se necessário poderá possuir Diretoria própria para a Administração dos assuntos do Núcleo;

22.4. A Diretoria, especialmente a Tesouraria dos Núcleos deverão prestar contas mensalmente à Diretoria da Sede Geral;

22.5. Os Representantes de Núcleo tem o dever e o direito de buscar a orientação necessária para a condução dos trabalhos e o aprimoramento da disciplina de seus Núcleos diretamente com o Representante Geral, que é o responsável máximo em manter a harmonia e fidelidade aos ensinamentos propostos.

 

Lindolfo Collor/RS, 02 de Março de 2014

 

Luis Antonio Orlando Pereira

Representante Geral

 

Reflita

Só existem dois dias no ano em que você não pode fazer nada pela sua vida: Ontem e Amanhã.

Dalai Lama